Homem é preso em Rio Branco do Sul acusado de disparar fogos de artifício contra policiais militares - Jornal de Colombo

Homem é preso em Rio Branco do Sul acusado de disparar fogos de artifício contra policiais militares

Homem é preso em Rio Branco do Sul acusado de disparar fogos de artifício contra policiais militares
Caso aconteceu em um evento na madrugada do Ano Novo, que concentrou cerca de 2.000 pessoas na praça Vila Velha.(Foto: Reprodução/Twitter)

No vídeo que circulou pelas redes sociais, é possível ver dois policiais parados em uma esquina da cidade ao lado da viatura. Na sequência, os projéteis são disparos em direção aos PMs que se abaixam para evitar o contato. Com a explosão, famílias e crianças presentes no local tiveram que correr para se proteger.

Um homem de 23 anos acusado de atacar policiais militares com fogos de artifício no Réveillon, em Rio Branco do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC), foi preso na sexta-feira do dia 14 e encaminhado para a Cadeia Pública do Município. Ele foi localizado no bairro Pinheirinho, em Curitiba, e levado pelo 22º Batalhão da Polícia Militar (BPM) sob um mandato de prisão preventiva por tentativa de homicídio.

Os policiais atingidos pelos fogos de artifício faziam o policiamento preventivo durante a celebração do ano novo quando foram atacados. O Serviço de Inteligência do 22º Batalhão, a Diretoria de Inteligência da PM e a equipe atingida pelos projéteis atuaram em conjunto na busca por informações relacionadas ao individuo. Após a localização do autor do ataque, foi solicitado o apoio do Poder Judiciário quanto a expedição do mandato de prisão.

“Esse cumprimento de mandado judicial é importante para deixar claro que não será aceita nenhuma tentativa de violência ou ameaça aos policiais militares, pois o lugar da PM é junto com a população para protegê-la, ou seja, precisa estar, inclusive, em locais com eventos como foi o caso”, disse o coordenador de Policiamento de Unidade (CPU) do 22º Batalhão, tenente Maximiano Gabriel da Silva.

O tenente acrescentou que o ataque por pouco não feriu cidadãos que estavam no local para confraternizar. “A prisão passa firmeza e mais segurança aos nossos policiais de que a ação regular será protegida. Agradecemos o apoio do Ministério Público de Rio Branco, pois graças à denúncia de populares e os indícios coletados, conseguimos chegar à autoria desse ataque e evitar que o anonimato o deixasse impune”, declarou.

Posts