#7 Valor com Propósito (11/03) - Jornal de Colombo

#7 Valor com Propósito (11/03)

#7 Valor com Propósito (11/03)

Renata Iorio é mãe do Bernardo, administradora, empreendedora social e sócia co-fundadora da consultoria de impacto social Valor com Propósito

Querido leitor, nessa semana comemoramos mais um Dia da Mulher! Mas você sabe por que e como essa data foi criada?

O Dia Internacional das Mulheres teve origem no movimento operário e se tornou um evento anual reconhecido pela Organização das Nações Unidas (ONU). Suas sementes foram plantadas em 1908, quando 15 mil mulheres marcharam pela cidade de Nova York exigindo a redução das jornadas de trabalho, salários melhores e direito ao voto. Um ano depois, o Partido Socialista da América declarou o primeiro Dia Nacional das Mulheres. Mas o Dia Internacional das Mulheres só foi oficializado em 1975, quando a ONU começou a comemorar a data, tornando-a uma ocasião para celebrar os avanços das mulheres na sociedade, na política e na economia.

A ONU anunciou que seu tema para 2022 é “Igualdade de gênero hoje para um amanhã sustentável”. Seus eventos vão reconhecer como mulheres ao redor do mundo estão respondendo às mudanças climáticas.

Mas há também outros temas. O site do Dia Internacional das Mulheres — que diz que foi criado para “fornecer uma plataforma para ajudar a gerar mudanças positivas para as mulheres” — escolheu o tema #BreakTheBias e está pedindo às pessoas que imaginem “um mundo livre de vieses, estereótipos e discriminação”.

Mesmo com todos esses movimentos e comemorações, ainda temos muito a fazer como sociedade. Uma pesquisa divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2020, ainda aponta a diferença de salários e rendimentos. Em 2019, as mulheres receberam, em média, 77,7% do montante auferido pelos homens. A desigualdade atinge proporções maiores nas funções e nos cargos que asseguram os maiores ganhos. Entre diretores e gerentes, as mulheres receberam 61,9% do rendimento dos homens. O percentual também foi alto no grupo dos profissionais da ciência e intelectuais: 63,6%.

Porém, também se destacou na pesquisa que a responsabilidade quase duas vezes maior por afazeres domésticos e cuidados ainda é um fator limitador importante para maior e melhor participação no mercado de trabalho, pois tende a reduzir a ocupação das mulheres ou a direcioná-las para ocupações menos remuneradas.

Outra observação da pesquisa diz respeito à sub-representação. Na política, a evolução da participação feminina é bem tímida. Apesar de um aumento no número de deputadas federais entre 2017 e 2020, tivemos apenas 14,8% de mulheres em exercício na Câmara dos Deputados. Com esse dado, o Brasil tem a menor proporção entre os países da América do Sul e fica na posição de número 142 em um ranking de 190 países.

Em pleno ano de 2022 ainda temos muitas desigualdades para com as mulheres e muito para conquistar, dar dignidade e reconhecimento da importância da mulher. O fato é que a cultura deve ser mudada para que as próximas gerações venham com uma mentalidade evoluída e igualitária.

E você, como comemorou o Dia da Mulher? Escreva para gente contando a história da alguma mulher incrível e forte a sua volta! contato@valorcomproposito.com.br.

Posts