Estado pede apoio ao Governo Federal para produtores prejudicados pela crise hídrica - Jornal de Colombo

Estado pede apoio ao Governo Federal para produtores prejudicados pela crise hídrica

Estado pede apoio ao Governo Federal para produtores prejudicados pela crise hídrica
Estado pede ao governo federal mais ações para produtores prejudicados pela crise hídrica.(Foto Gilson Abreu/AEN)

Segundo o Departamento de Economia Rural (Deral), devido as secas de 2019 até então, a estimativa é que as perdas na cultura da soja ultrapassam 8 milhões de toneladas.

O Governo do Paraná enviou nesta terça-feira (18) um oficio para a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, com uma série de sugestões para minimizar a situação dos agricultores paranaenses prejudicados pela crise hídrica. O documento propõe ações referentes ao crédito rural, seguro rural e Proagro, além da distribuição de sementes para os que não têm condições de adquirir e produzir uma nova safra.

A solicitação foi assinada pelo secretário da Agricultura e do Abastecimento, Norberto Ortigara, e representa um trabalho conjunto do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR-Paraná) e entidades representativas dos produtores rurais – Sistema Ocepar, Federação da Agricultura do Paraná (Faep) e Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores Familiares do Paraná (Fetaep).

“Percebemos um quadro hostil que provocou e ainda está provocando muito calor no solo e perda razoável na produção agrícola do Estado”, disse o secretário Ortigara. “Apresentamos um conjunto de medidas que estamos pleiteando ao governo federal para minimamente tentar estabilizar a nossa economia rural, a economia da roça, da terra”, salientou.

No dia 13 de janeiro, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, esteve na região Oeste do Estado para averiguar as perdas. Medidas para os desafios impostos pela seca, como a subvenção de juros para alguns investimentos e o fornecimento de capital para as mais de 170 cooperativas da agricultura familiar, já estão sendo tomadas. No entanto, o manifesto ressalta que essas ações são insuficientes para os estragos causados pela estiagem.

Confira o ofício nº 0010/2022-SEAB/GAB publicado no dia 18 de janeiro clicando AQUI.

Posts