A cidade de Cascavel, no Oeste do Paraná, será a sede do 12º Campeonato Sul-Americano de Kickboxing. O evento vai ocorrer entre os dias 8 e 12 de dezembro no Complexo Esportivo Ciro Nardi. A competição conta com o apoio da Paraná Esporte e vai reunir cerca de 700 atletas de 12 países do continente. “O Paraná tem uma tradição muito grande em artes marciais. Nos sentimos honrados pela escolha e daremos todo o suporte possível para que o campeonato seja um sucesso. Cascavel tem estrutura e vai organizar um grande Sul-Americano, tenho certeza”, disse o governador Ratinho Junior, na reunião que definiu o Estado como sede da competição. “O esporte, e especialmente as artes marciais, é democrático e tem a capacidade de transformar a vida das pessoas”, completou. Essa foi a segunda vez que o Paraná se candidatou para sediar um dos campeonatos internacionais da modalidade. Em 2020, Foz do Iguaçu receberia o campeonato Pan-Americano, que acabou cancelado em virtude da pandemia da Covid-19. O Sul-Americano será a primeira grande competição da modalidade após o reconhecimento, em junho, da Associação Mundial de Organizações de Kickboxing (Wako) como membro do Comitê Olímpico Internacional (COI), depois de um longo processo que durou cerca de 25 anos. Agora, a categoria busca cumprir todos os requisitos, como participar de competições continentais, até uma possível inclusão nos próximos dois ou três ciclos olímpicos. “É movimentar e fazer crescer o esporte após esse reconhecimento tão importante por parte do COI”, afirmou o presidente da Confederação Brasileira de Kickboxing (CBKB), Paulo Zorello. Segundo o Superintendente Estadual de Esporte, Helio Wirbiski, o Sul-Americano de Kickboxing é apenas parte de uma grande agenda esportiva prevista para o Paraná nos próximos meses. Serão aproximadamente 15 competições apenas no segundo semestre deste ano. “São campeonatos que, em média, reúnem de 200 a 300 pessoas, movimentando diferentes pontos do Estado. Por orientação do governador Ratinho Junior, vamos usar o esporte como indutor do turismo e também como alavanca da retomada econômica, especialmente agora com o avanço da vacinação contra a Covid-19”, comentou Wirbiski.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.