Durante a última semana, oito dos quinze atletas que formam a Seleção Brasileira Paralímpica de Natação realizaram seus treinos preparatórios para os campeonatos de 2020 no Complexo Aquático do Santa Mônica Clube de Campo. A escolha pelo clube colombense foi feita pela boa infraestrutura fornecida na modalidade. “Desde o início fomos muito bem acolhidos pela Diretoria de Esportes e eles adoram vir aqui. Os tempos deles melhoraram depois que começamos a treinar no Santa”, disse Rui Menslin, técnico da equipe há 20 anos. “Eu comecei a treinar pessoas com deficiência por acaso na Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), onde dava aula. Desde então, tudo caminhou para que nós formássemos esse time e que hoje estão em competições de destaque pelo país e batalhando para entrar em campeonatos internacionais”, contou.

Uma das nadadoras participantes da Seleção é Tisbe de Souza, de 20 anos. A atleta nasceu com artogripose, uma má formação congênita das articulações. Aos 10 anos, adicionou o esporte à rotina. “Eu conversei na época com a minha médica e ela, por acaso, conhecia uma menina que nadava com o Rui e comentou comigo. Conversei com ele e desde então nunca mais parei, desde 2010”, afirmou. Nos Jogos Parapanamericanos de 2019, disputados em Lima, no Peru, Tisbe conquistou a medalha de bronze nos 50 metros costas, além de já ter quebrado por oito vezes consecutivas o recorde brasileiro na prova e ser a líder do ranking nacional há três anos. “Quando me senti segura de mim e dentro do esporte, percebi que eu podia, sim, conseguir disputar e ganhar as competições. E treinar numa estrutura como a do Santa Mônica fez com que eu melhorasse os meus tempos. Estamos adorando poder vir para cá”, explica. Quem também fez do esporte uma ponta para uma vida nova foi João Lucas Bezerra, de 19 anos. Há quatro anos, o jovem foi atropelado e teve amputação total da perna direita, o que o levou a um breve quadro de depressão, que foi superado graças a Natação. “Quando fiquei sabendo da equipe do Rui e fui conhecer, senti que ali era uma oportunidade para mim. Foi quando eu quis realmente me tornar um atleta”, afirma.

O principal objetivo da temporada para a Seleção em 2020 é em Tóquio, no Japão, onde serão realizados os Jogos Paraolímpicos. O evento acontece em agosto. Em 2016, no Rio de Janeiro, o Brasil foi oitavo colocado no quadro geral de medalhas e a Natação foi responsável por doze medalhas, sendo duas de ouro, cinco de prata e cinco de bronze.