Nesta segunda-feira, 31, foi realizada uma reunião virtual com representantes da Prefeitura de Curitiba e das demais cidades da Região Metropolitana de Curitiba. No encontro, o vice-prefeito Eduardo Pimentel, representando o prefeito Rafael Greca, pediu a adoção de medidas mais restritivas de combate à Covid-19 por parte dos municípios da RMC.

Curitiba entrou na chamada bandeira vermelha na última sexta-feira, 28, enquanto a maioria das cidades seguiu o decreto emitido pelo Governo do Estado, que também ampliou as restrições, mas a um nível abaixo do que o estabelecido pela Capital.

Para a Prefeitura de Curitiba, “a falta de adesão das cidades vizinhas compromete os resultados necessários para redução da expansão da doença, além de manter a pressão da rede de saúde da capital”.

Na reunião por videoconferência, a Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Curitiba (Assomec) discutiu a minuta de decreto que busca servir de base para cidades da Grande Curitiba ampliarem as restrições neste momento de agravamento da covid-19.

A base do documento é o decreto municipal nº 940/2021, que estabeleceu a bandeira vermelha em Curitiba. A expectativa é a de que os municípios façam os ajustes necessários de acordo com a realidade de cada um. “Quanto mais alinhadas estiverem as ações da Região Metropolitana melhores serão os resultados no combate à pandemia. Não tem sentido uma cidade restringir atividades e outras deixarem livre. Aí o vírus vai continuar circulando”, disse Eduardo Pimentel, que também é coordenador municipal de Ações Integradas com a Região Metropolitana de Curitiba.

A secretária municipal da Saúde de Curitiba, Márcia Huçulak, também pediu durante o encontro que os municípios metropolitanos adotem as restrições previstas na bandeira vermelha de Curitiba. “É o pior momento que estamos vivendo. É, realmente, a quarta onda. Nosso sistema de saúde está no limite”, disse a dirigente, que pontuou que o atendimento a traumas tem contribuído com a sobrecarga do sistema. “No caso dos traumas, 65% dos atendimentos são de pessoas vindas da Região Metropolitana, que atendemos nas nossas unidades”, completou.

O encontro por videoconferência teve a participação de prefeitos, vice-prefeitos, secretários, técnicos e representantes de 29 municípios da RMC e do Litoral, bem como da assessora especial do gabinete do Prefeito de Curitiba, Cibele Fernandes Dias; do médico Vinicius Filipak, diretor-geral da Secretaria Estadual da Saúde (Sesa); e da médica Acácia Maria Lourenço Francisco Nasr, coordenadora de Vigilância Epidemiológica da Sesa.

Também participaram da reunião por videoconferência os prefeitos Gerson Colodel (Almirante Tamandaré, que coordenou o encontro), Helder Lazarotto (Colombo), Bihl Zanetti (Campina Grande do sul), Margarida Singer (São José dos Pinhais), Luiz Antônio Biscaia (Mandirituba), Nassib Hammad (Fazenda Rio Grande), Everton Vizentin (Campo do Tenente), Josima Fróes (Piraquara), Neneu Artigas (Itaperuçu), Jesse Zoellner (Agudos do Sul), Maicon Grosskoff (Piên), José Moreira (Tijucas do Sul), Marcos Zanetti (Balsa Nova), José Moura (Quitandinha), Karime Fayad (Rio Branco do Sul), Maurício Rivabem (Campo Largo), Patrick Magari (Cerro Azul), Vandir Rosa (Adrianópolis), Antônio Gusso (Bocaiúva do Sul), Hissam Dehaini (Araucária), Antônio Dignera (Contenda), Moises Silva (Doutor Ulysses), Marly Fagundes (Pinhais), Loreno Tolardo (Quatro Barras), Marco Baldão (Tunas do Paraná) e Roberto Justus (Guaratuba).

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.