O Museu Oscar Niemeyer (MON) recebeu neste mês de julho mais 93 obras de arte asiática, uma complementação da doação de quase 3 mil peças feita em 2018 pelo professor e diplomata Fausto Godoy. As obras foram reunidas ao longo de décadas e são oriundas de países como China, Japão, Índia, Paquistão, Butão, Irã, Afeganistão e Myanmar. A doação tornou o MON detentor da mais significativa coleção asiática da América Latina. “Disputada por outras instituições do Brasil e por colecionadores do Exterior, ao vir para o MON, a Coleção Asiática enriqueceu o acervo do Museu”, disse a diretora-presidente da instituição, Juliana Vosnika. “Recebermos agora uma complementação desta importante coleção, que ratifica o papel do Museu como espaço aberto para manifestações artísticas de variadas culturas, incluindo Ásia, América Latina e África, seguindo uma tendência atual dos principais museus”, acrescentou. Novas obras Entre os itens recém-doados ao Museu Oscar Niemeyer, o professor e diplomata Fausto Godoy destaca peças de cerâmica japonesa Satsuma. “Temos aqui quatro vasos que retratam o conflito de poder entre japoneses e ocidentais. São peças de exportação, feitas para atender ao gosto do mercado europeu”, explicou. O doador  também destaca as obras em cerâmica da dinastia tribal Liao, do Século 10. “São peças utilitárias, monocromáticas, mais rústicas e austeras”, afirma o professor. “Não eram peças decorativas, mas sempre utilitárias e funcionais, que nos contam muito sobre aquela cultura”, disse. Ao longo dos últimos três anos, o público teve amplo acesso à coleção, que tem centenas de suas obras expostas na mostra “Ásia: a Terra, os Homens, os Deuses”, disponível na Sala 5 e também em formato virtual, na plataforma Google Arts & Culture. Além disso, o MON promoveu diversas oficinas artísticas, mediações, conferências e outras ações relacionadas à Coleção Asiática, em formato presencial e on-line.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.