O Dia Nacional do Patrimônio Cultural é comemorado em 17 de agosto, instituído como uma homenagem ao nascimento de Rodrigo Melo Franco de Andrade, historiador, jornalista e advogado, que foi o primeiro presidente do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), instituído em 1937. A data é comemorada em todo o País com diversas ações culturais de valorização do patrimônio histórico e cultural. Em Colombo, não foi diferente. 

Na última terça-feira, 17, o Departamento de Cultura do Município, em conjunto com a Biblioteca Municipal Rui Barbosa e o Museu Municipal Cristóforo Colombo, promoveu uma visita guiada pelos principais pontos de valor cultural e histórico do Centro da cidade. “A ideia desta visita guiada foi apresentar à população uma parte do patrimônio cultural da cidade, o patrimônio construído. A proposta foi visitar aqui no Centro as principais construções de época que ainda temos, partindo aqui do Colégio Abraham Lincoln, que já tem 62 anos”, explicou o historiador Fábio Machioski. 

A escolha do ponto de partida teve a influência da ligação sentimental de uma parte considerável da população colombense com a unidade escolar. “É um prédio que não tem características arquitetônicas muito diferentes, mas é o local em que a maioria dos colombenses da região começaram sua vida acadêmica e fica bem no final da Rua XV de Novembro, que também é uma rua histórica e tem o mesmo traçado há 143 anos”, conta. 

Os participantes da visita guiada passaram também pela antiga Sociedade Colombo, pelo Paço Municipal, antiga LBA, pelo Marco Zero de Colombo, pela Igreja Matriz, entre outros monumentos e locais de importância histórica para Colombo, tendo o intuito de mostrar a importância de preservar o patrimônio. A ação contou com a participação da bibliotecária Ângela Mottin e da diretora do Departamento de Cultura, Marinei Vidolin.

Arquivo/Yuri Casari

Lei de Preservação do Patrimônio Cultural e Natural

Além da legislação nacional e estadual, Colombo também possui sua própria lei que rege a preservação do Patrimônio Cultural e Natural da cidade. A Lei 1.285/2012 instituiu a Lei Municipal de Preservação do Patrimônio Cultural e Natural, que coloca o Município com a responsabilidade de dispensar proteção especial ao patrimônio cultural da cidade, e rege as diretrizes para o tombamento de locais a serem preservados. No entanto, a legislação, embora existente, ainda não foi capaz de atingir seu objetivo inicial. Atualmente, já há pedidos de tombamento de espaços, como a Casa da Cultura, por exemplo, e também patrimônios imateriais, como o tradicional risoto colombense. De momento, o único patrimônio protegido por lei é a Casa Beira Xavier, localizada na Rodovia da Uva, tombada via lei estadual.