Às vezes, pequenas coisas podem nos trazer lembranças e saudades. Seja um lápis, uma música, uma blusa ou, até mesmo, um guarda-chuva. Assim é Umbrella, uma animação cheia de saudosismo, emoção e recordações. Onde pequenos gestos valem mais do que qualquer palavra.

O curta-metragem se passa em um orfanato e começa com uma mãe e sua filha chegando com brinquedos para doar às crianças que ali moravam. Chovia e, por isso, a menina trazia um guarda-chuva amarelo. Joseph, um dos órfãos, observava pela janela atentamente o guarda-chuva, que despertou várias memórias. Para ele, aquele objeto significava mais do que qualquer brinquedo.

Uma verdadeira lição sobre o amor, saudades, empatia e o valor de pequenos gestos. A simplicidade da animação e o seu carisma faz o espectador sentir junto com Joseph toda a dor ao lembrar daqueles momentos. Nos emociona e nos faz pensar. 

Não é à toa que Umbrella está na corrida pelo Oscar. Além disso, foi selecionado em 19 festivais como Tribeca, Cinequest, Chicago International Film Festival, Calgary International Film Festival, Animayo, entre outros. Helena Hilário e Mario Pece assinam o roteiro e a direção. A produção é do estúdio criativo Stratostorm. A história foi inspirada em uma experiência vivenciada pela irmã da diretora. 

O curta nos faz refletir que todos nós temos o nosso “guarda-chuva amarelo” e como a empatia faz toda a diferença. Um projeto artístico lindo e encantador. 

Vanessa Guerra é jornalista formada em Comunicação Social com ênfase em Jornalismo, pós-graduada em Administração e Marketing, graduanda do curso de Sociologia, mestranda do Programa de Pós-graduação em Jornalismo da UEPG e diretora da Pontonze Comunicação.