Em 2020, o cinema completou 125 anos. A primeira sessão realizada para o público aconteceu em 28 de dezembro de 1825 e foi feita pelos irmãos Auguste e Louis Lumière, em Paris.

O cenário desses mais de 100 anos mudou muito, principalmente nas atuais circunstâncias. Por causa da pandemia da Covid-19, vários filmes foram adiados e outros lançados nos serviços de streaming. O novo Disney Plus+ segue esta estratégia de lançamentos em sua plataforma. 

Em 2021, as expectativas são que os cinemas voltem ao seu funcionamento normal e os longas que foram adiados possam finalmente estrear. Sendo assim, este ano promete uma lista de grandes filmes nas telonas.

Os acontecimentos trouxeram um forte impacto na indústria cinematográfica, uma necessidade de se adaptar e enxergar novos meios. Será que este, talvez, seja o futuro do cinema? Ao invés de salas lotadas teremos os serviços de streaming? É discutível que a troca aconteça, mas não é impossível. Ao que parece, a Disney pensou rápido e se adaptou pensando em uma nova alternativa. Se deu certo, ainda é difícil dizer, mas pode ser que a tendência, se mostrando promissora, permaneça com lançamentos simultâneos entre cinema e streaming.  

Não acredito que a exibição em salas cheias vá desaparecer ou mesmo a cultura de sair para ver um filme acabe, mas acho que mudanças irão acontecer, principalmente na maneira de consumo. É um caminho longo ainda a percorrer para mensurar os impactos de 2020 e as adaptações que, de alguma maneira, deram certo e irão se transformar em tendência. 

Vanessa Guerra é Jornalista formada em Comunicação Social com ênfase em Jornalismo, pós-graduada em Administração e Marketing, graduanda do curso de Sociologia, mestranda do Programa de Pós-graduação em Jornalismo da UEPG e diretora da Pontonze Comunicação.