Neste início de ano, vamos adentrar em mais um período que exigirá muita reflexão, conhecimento e sabedoria para lidar com a situação atual. Afinal, os estudiosos dizem que não será muito diferente do período anterior. O certo é que grandes aprendizagens vieram à tona. Muitas pesquisas, muito estudo, muita leitura sobre todos os fatos ocorridos e, principalmente, sobre uma nova doença que tomou conta do mundo. Então, estamos conhecendo um novo tempo, um novo normal, um novo modo de vida, uma nova maneira de se cuidar. O que vamos fazer com este conhecimento adquirido?

Sabemos que quem consegue administrar aquilo que aprende torna-se sábio. Porém, quem refuta o que aprendeu por pensar que tudo voltará a ser como já foi, viverá desprezando a inteligência que lhe é nata. 

Há muita especulação diante da prevenção e da chegada da vacina. Quando a imunização estiver disponível no sistema público, muitos ainda rejeitarão a aplicação por negar a eficácia da mesma porque desacredita da ciência e dos cientistas. Existem os que preferem acreditar em comentários alheios aos estudos simplesmente por uma filosofia ou ideologia. 

Não podemos negar que a higiene é a mais importante forma de prevenção às doenças; que estar em sua casa é a forma mais segura de proteger os seus; que o afastamento e o isolamento social são necessários para diminuir a proliferação da doença; que a escola é o lugar adequado para a criança frequentar e conviver com outras crianças; que professores são essenciais no ensino-aprendizagem; que a vida é um sopro e que deve ser valorizada mais e mais; que as pessoas deixam uma lacuna muito grande quando partem; que as maiores demonstrações de amor têm que ser em vida…

Se em nossa prática diária isso for frequente, certamente teremos pessoas muito melhores nos anos vindouros. Já dizia Carl Rogers: não podemos ensinar a outra pessoa diretamente; só podemos facilitar sua aprendizagem.

Nesse sentido, que as importantes fontes de informações estejam alcançando a grande massa para que neste ano, ao administrar as decisões de nossas vidas, estejam incluídas aquelas que salvarão vidas. 

Márcia Regina Schena dos Santos é Pedagoga e Professora de Língua Portuguesa, Pós graduada em Psicopedagogia, Metodologia do Ensino de Língua Portuguesa e Docência no Ensino Superior. Atualmente é diretora do CMEI Espaço da Criança.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.