O sistema educacional está passando por grande transformação neste período pandêmico e um dos profissionais da Educação Básica que dia a dia está convivendo com esta mudança é o Diretor Escolar. Geralmente, são profissionais experientes e que atuam na liderança por algum tempo. O certo é que neste ano atípico, todos se tornam aprendizes diante da necessidade de adaptar-se ao novo.

Não houve tempo para preparação. De forma emergente, tudo teve que ser adaptado. O planejamento passa por novas alterações, em curto prazo, porque as incertezas não permitem programação a longo prazo. Uma nova forma de resolver os conflitos surge. Os membros da equipe continuam sob sua liderança, porém não mais a sua frente. Delegar funções tornou-se a prática diária necessária. Em diferentes espaços, o trabalho em equipe ganhou destaque, fortalecendo-se consideravelmente. Trabalhar em equipe não é trabalhar no mesmo espaço, mas à distância, no mesmo projeto. Mudou a forma de comunicação, mudou a divisão das tarefas. Certamente, se reinventaram rapidamente para manter a escola ativa.

O uso da tecnologia tornou-se necessidade. Afinal, algumas reuniões acontecem no ambiente virtual.

Mesmo estando em casa o compromisso com o horário de trabalho, com a formação profissional e com suas responsabilidades não se alteram. Alguns até se surpreenderam com o seu autocontrole, com seu potencial inovador.

Manter a estrutura física em funcionamento, cuidando e zelando como se tudo estivesse acontecendo normalmente. A escola sempre organizada para os dias de trabalho presencial, colocando alegria em cada espaço para que, ao receber pessoas, o espaço seja agradável e leve.

Um dos grandes desafios do Diretor Escolar é o fortalecimento de vínculos com as famílias, com a comunidade escolar e com sua equipe de trabalho, fugindo da formalidade e interagindo através das mídias sociais. A instituição com alguns dias de porta fechada não significa trabalho pausado, mas uma escola ativa, com trabalho intensificado. Um formato desafiador, mas fundamental para a implementação de novas práticas, minimizando o efeito que tudo isso trará. E mais uma vez o Diretor Escolar encara o desafio, jubilante e com brilho no olhar.

Márcia Regina Schena dos Santos
Pedagoga e Professora de Língua Portuguesa, Pós graduada em Psicopedagogia, Metodologia do Ensino de Língua Portuguesa e Docência no Ensino Superior. Atualmente é diretora do CMEI Espaço da Criança.