Saúde esclarece que não há infestação de escorpiões em Curitiba

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Curitiba esclarece que não há infestação de escorpiões no município. Ao longo de 2017, a Unidade de Vigilância em Zoonoses atendeu 10 solicitações de orientações sobre o assunto, o que gerou a captura de 4 animais. Os números estão dentro da média histórica. Em 2016, foram 9 solicitações, que geraram a captura de 6 animais. O número de acidentes também segue a média histórica. Em 2017, foram 5 casos e em 2016 haviam sido 6 casos.

De acordo com a chefe da fauna sinantrópica de Unidade de Vigilância em Zoonoses da SMS, Cláudia Staudacher, a maior parte das espécies de escorpiões encontradas em Curitiba causa acidentes leves a moderados. Segundo Cláudia, porém, é preciso ficar atento principalmente ao escorpião amarelo, o Tityus serrulatus, que pode causar acidentes graves. “Não é tão comum em Curitiba, mas pode ocorrer”, explica. Os principais sintomas após uma picada são: dores fortes, vômito, sudorese, agitação e choque.

Ao encontrar um escorpião, a orientação é entrar em contato com a Unidade de Vigilância em Zoonoses, por meio do telefone 156 da Prefeitura. Em caso de acidente, a indicação é buscar atendimento médico nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) 24 horas. Lá, o médico poderá avaliar o caso e se há necessidade de ministrar soro específico. “Nestes casos, se for possível levar o animal, é melhor, pois ajuda a ministrar o melhor tratamento”, explica Cláudia.

Os usuários também podem contar com orientações pelo telefone no Centro de Controle de Envenenamento, da Secretaria de Estado da Saúde, pelo telefone 0800 410 148.

Orientações
Embora não exista infestação de escorpiões em Curitiba, é preciso manter os cuidados para que os animais não se proliferem, evitando acidentes, principalmente nesta época do ano.  “Com o aumento da temperatura e a chegada do verão, é o momento mais propício para acidentes. Por isso, agora é hora de redobrar os cuidados”. Segundo Cláudia, o escorpião se alimenta de insetos, principalmente a barata, e tem hábitos noturnos. “Evitar lixo, entulhos, vedar soleiras de portas, colocar telas em ralos e manter a caixa de gordura bem fechada são os principais cuidados”, afirma.

Foto – Divulgação

error: Content is protected !!