Empresa árabe têm intenção de investir em Curitiba

O Paraná é o estado brasileiro que mais exporta para os Emirados Árabes Unidos, segundo a embaixadora do país, Hafsa Al Ulama. Em sua primeira visita à Curitiba, a diplomata conheceu o Vale do Pinhão, o Farol do Saber Emílio de Menezes, o Cras Barigui, o Museu Oscar Niemeyer e esteve com o prefeito Rafael Greca, em seu gabinete na Secretaria Municipal do Meio Ambiente.

A possibilidade de celebrar acordos de cooperação com os Emirados Árabes Unidos foi discutida pelo prefeito, que elogiou a capacidade do país árabe em desenvolver cidades inteligentes. “É muito importante que a diplomacia se faça no sentido econômico”, disse ele. “Há interesse em atrair investimentos para Curitiba, sobremaneira nas áreas de energias renováveis e no mercado imobiliário, para promover a renovação urbana”, afirmou.

A embaixadora foi acompanhada de uma delegação de diplomatas e empresários que, afirma ela, têm o desejo de investir na cidade. “Queremos que essas instituições venham para Curitiba, pois achamos uma cidade moderna e inovadora”, salientou. Hafsa mencionou a possibilidade de celebrar um acordo com Dubai, maior centro econômico do país. “Creio que temos muito a oferecer e também para aprender com Curitiba.”

Emirados Árabes Unidos
Localizado no Golfo Pérsico, os Emirados Árabes Unidos (EAU) são formados por uma confederação de monarquias árabes, cada uma detendo sua soberania, chamadas emirados. A capital e a segunda maior cidade dos Emirados Árabes Unidos é Abu Dhabi.

O país é, atualmente, um importante centro comercial, logístico e de negócios. Aproximadamente 30 empresas brasileiras contam com escritórios comerciais no país, utilizando-o como plataforma para suas exportações na região.

O intercâmbio comercial entre o Brasil e os Emirados Árabes Unidos teve crescimento constante ao longo dos anos 2000, sendo que, em 2008, transformou-se no segundo maior parceiro comercial do Brasil no Oriente Médio, atrás apenas da Arábia Saudita.

O comércio total com os EAU, que em 2000 somava US$ 300 milhões, atingiu em 2015 a marca de US$ 3 bilhões, com superávit brasileiro de cerca de US$ 2 bilhões. 

FOTO – LUIZ COSTA/SMCS

error: Content is protected !!