Curitiba busca promover a energia sustentável

Curitiba foi vencedora do Prêmio Mundial do Habitat em 1996, concedido pela Organização das Nações Unidas (ONU). Administrada na época pelo prefeito Rafael Greca, a cidade se destacou pelas soluções ecológicas no planejamento urbano. Em 2017, a Prefeitura busca concretizar projetos na área de energias sustentáveis e, para isso, tem estabelecido parcerias importantes.

Na última segunda-feira, Greca recebeu o presidente da Copel, Antonio Sérgio de Souza Guetter, com quem discutiu alguns programas considerados prioritários. “O primeiro deles é transformar o prédio central da Prefeitura em uma usina de captação de energia solar, totalmente abastecido por uma energia limpa e com custo zero ao contribuinte”, explicou Greca.

Outra possibilidade, segundo o Prefeito, é a “transformação do Aterro da Caximba em uma usina elétrica e de biogás, de acordo com um projeto concebido pela Universidade Federal do Paraná”. Greca vê essas opções como formas de aumentar a eficiência energética do município. O gasto anual da Prefeitura com energia elétrica fica em torno de R$ 55 milhões, sendo 90% com a iluminação pública.

Guetter também ressaltou que a energia elétrica é um fator fundamental no desenvolvimento de qualquer cidade inteligente. “Curitiba, ao se aproximar da Copel, persegue o objetivo de oferecer uma energia de maior qualidade”, explicou. O presidente da Copel – maior empresa sediada em Curitiba – também lembrou que o caminho é importante na oferta de novos serviços, como carros e motocicletas elétricas.

Outra novidade apresentada por Guetter ao prefeito foi o projeto do Centro Integrado de Distribuição, que vai controlar a distribuição de energia em todo o Paraná, possibilitando maior eficácia no processo. O prédio ficará no bairro Novo Mundo e tem previsão para ser inaugurado em março de 2018.

Foto – Jaelson Lucas/SMCS

error: Content is protected !!