Mais de 7% das crianças brasileiras estão acima do peso

A obesidade é uma doença que tem afetado as crianças brasileiras, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) estima-se que 7,3% delas, com idade abaixo de cinco anos, estejam acima do peso no País. O cuidado com a alimentação é um hábito que deve ser incluído na educação desde cedo, pois o consumo de comida saudável na infância é essencial para se evitar problemas de saúde ao longo da vida.  Diversas doenças podem ser acarretadas pela obesidade, como pressão alta, diabetes, insuficiência renal, insuficiência cardíaca, e até problemas psicológicos, que podem comprometer os desenvolvimentos físico e social da criança.

A nutricionista Carmem Luciane, da Acesso Saúde, explica que um dos principais erros dos pais é oferecer os alimentos em quantidades semelhantes às consumidas por adultos. “Quando os pais determinam que os filhos devem ‘limpar o prato’ para crescerem ou mesmo terem direito à sobremesa – a mensagem que passam é que eles devem comer sem vontade ou para serem recompensados”, comenta.

Outro erro cometido pelos pais frequentemente está relacionado à qualidade dos alimentos, com a criação de hábitos como o consumo de doces e gorduras. “É muito comum os responsáveis estimularem o paladar das crianças a alimentos muito doces, salgados e gordurosos com a justificativa de serem de fácil preparação”, diz, Luciane. Nessa lista de alimentos que devem ser evitados estão bolos, balas, chocolates, sucos, salgadinhos, temperos prontos, sorvetes, cremes e lanches.

Os alimentos classificados como ultra-processados, industrializados de tal forma que as características iniciais tenham se perdido totalmente, são os mais prejudiciais à saúde de qualquer pessoa. “Sopas prontas, massas instantâneas, embutidos homogeneizados, entre outros são altamente impregnados de gordura, sódio, corantes, conservantes, e outros elementos artificiais que apenas realçam cores e sabores, mas não contribuem nutricionalmente com o produto”, explica.

 A educação alimentar na infância é essencial para garantir uma vida mais saudável em todas as idades, os alimentos ricos em nutrientes devem ser introduzidos no cotidiano desde muito cedo. “Fazer a criança participar do preparo, escolhendo, higienizando e descascando frutas com segurança é um grande aliado nesse processo”. A nutricionista da Acesso Saúde ressalta ainda que é importante não disponibilizar produtos que a criança tem acesso irrestrito em casa, como bolachas recheadas, salgadinhos de pacote e refrigerantes. Fazer escolhas por alimentos saudáveis é essencial, estimulando o consumo de frutas, verduras, iogurtes, entre outros alimentos.

A avaliação do quadro da criança deve ser realizada por um nutricionista, profissional habilitado para estabelecer uma reeducação alimentar adequada ao paciente, com a determinação de quantidades, horários e alimentos a serem consumidos, com base nas necessidades de cada criança.  “Por meio de valores de peso e estatura para a idade é feito o diagnóstico de sobrepeso e obesidade, estes valores são inseridos em tabelas que vão sinalizar o perfil da criança”, explica Luciane.

Foto – Divulgação

error: Content is protected !!