Nova tecnologia já alcança 30% da rede elétrica do Paraná

Um terço das redes elétricas urbanas no Paraná já são compactas, uma tecnologia de cabos protegidos e mais resistentes que contribuem para reduzir o número de interrupções no fornecimento de energia e melhoram a convivência dos cabos com a arborização.

Nos últimos cinco anos, a Copel vem construindo em média mil quilômetros de redes compactas a cada ano. Elas atualmente somam mais de 8 mil quilômetros nas áreas urbanas dos municípios paranaenses.

“A ampliação das redes compactas confere maior segurança e qualidade ao fornecimento de energia, reduzindo o índice de desligamentos”, ressalta o presidente da Copel, Antonio Guetter. “Ela também contribui para uma convivência harmônica entre a rede elétrica e a arborização urbana, evitando podas drásticas por ocupar uma área menor”.

Formada por um conjunto de cabos de aço, condutores cobertos e espaçadores, a rede compacta apresenta melhor desempenho que a rede convencional graças à sua maior proteção. Por isso, pode contribuir para reduzir o número de desligamentos causados pelo contato de galhos, pipas e outros objetos com a rede de distribuição de alta tensão.

As compactas estão entre as principais razões para a redução, nos últimos anos, do número de desligamentos e do tempo que os consumidores ficam sem energia no Paraná. Entre 2015 e 2016, houve 13% menos desligamentos, e o tempo médio sem energia caiu 21%. Em Curitiba, o tempo total dos desligamentos caiu 30% no período.

PIONEIRISMO
A Copel foi uma das primeiras empresas a utilizar redes compactas no Brasil, começando a testar a tecnologia em 1994 na cidade de Maringá, que apresentava muitos desligamentos devido à sua densa arborização. Hoje a cidade possui praticamente 100% de sua rede composta por este tipo de cabos.

O projeto foi gradativamente ampliado a outros municípios, alcançando 1,4 mil quilômetros de compactas instaladas em 2008. De lá para cá, sua extensão cresceu quase seis vezes, ultrapassando atualmente os 8 mil quilômetros.
Para substituir a rede convencional pela rede compacta, a Companhia programa desligamentos nos locais onde os novos cabos serão instalados. Esse tipo de interrupção permite que a melhoria seja feita com segurança, evitando riscos para a população e para as equipes que trabalham na rede.

Os desligamentos são precedidos por estudos que visam minimizar o impacto da falta de energia para os consumidores, restringindo ao máximo a área afetada e o tempo do desligamento. “Essas interrupções são muito importantes para trazer melhorias permanentes para os consumidores”, acrescenta Guetter.

A Copel sempre informa os clientes que serão afetados por uma interrupção para a execução de obras. É possível consultar a programação de desligamentos no site www.copel.com, ou por meio do aplicativo Copel Mobile.

Foto – Daniela Catisti/Copel

error: Content is protected !!