Campanha “Você Pode Mais – Falando com Jovem” será lançada nesta quinta-feira

Garotas, de 15 a 19 anos, são as principais vítimas de violências sexual e física, respondendo por 62,3% das notificações pelo Sistema Nacional de Atendimento Médico (Sinam). Já a taxa de adolescentes mães, apesar da tendência decrescente, é, pelo menos, o dobro da de países europeus.

Diante desse panorama e por conta do alcance da internet e redes sociais, a Secretaria da Família e Desenvolvimento Social lança nesta quinta-feira (11) a campanha “Você Pode Mais – Falando com o Jovem”. A ação educativa busca impactar principalmente o público adolescente com um filme exclusivo para veiculação nas redes sociais.

UNIÃO ENTRE MULHERES
Quatro youtubers convidadas participaram de uma experiência angustiante no formato “escape game”. A missão era ajudar uma amiga a escapar da violência, em apenas 60 minutos. No roteiro, foram incluídas situações como envio de fotos privadas por aplicativo de mensagem, sexo forçado, gravidez e casamento precoce.

A ideia do “escape game” foi criar a tensão parecida com as vivenciadas por meninas expostas a violências e estimular a sororidade – união e empatia entre mulheres – , companheirismo e solidariedade. Dessa forma, busca-se a empatia das seguidoras das youtubers para que fiquem alertas aos riscos e consigam evitar e escapar de situações que podem comprometer suas vidas.

NÚMEROS
No Brasil, a cada 100 mulheres de 15 a 19 anos, seis sofrem violência sexual, de acordo como relatório “Ending Violence in Childhood”, divulgado pelo Global Report no ano passado. O IBGE ressalta a taxa de fecundidade nessa faixa etária, por envolver adolescentes. No Paraná, a taxa é de 52,6 filhos por 1.000 mulheres, menor que o índice brasileiro, mas superior aos 25 registrados na Europa e América do Norte.

Casamentos precoces e a diferença de números entre gêneros também preocupam. No Paraná, menos de 1% dos homens que se casaram em 2016 tinham entre 15 e 19 anos, entre as meninas esse percentual superou os 12%. 

Outro risco observado é a exposição da intimidade em fotos em redes de troca de mensagens. Esse artifício pode ser usado para chantagear a adolescente, forçando-a a se submeter a algum tipo de violência, ou apenas para prejudicar a garota, frente a seus familiares ou à comunidade.

O filme será veiculado até 28 de fevereiro e terá como alvos adolescentes e jovens de 14 a 21 anos, nas redes socais mais frequentadas por este público.

FOTO – DIVULGAÇÃO/SEDS

error: Content is protected !!