Campanha de prevenção da violência contra a mulher já foi vista 1,8 milhão de vezes

vídeo de prevenção a violências contra mulheres, direcionado a adolescentes, já atingiu 1,8 milhão de visualizações, 7 mil reações e mais de 1 mil compartilhamentos. A campanha Você Pode Mais – Falando com o Jovem, idealizado pela Secretaria de Estado da Família e Desenvolvimento Social, começou a ser veiculada na internet há apenas uma semana e segue até fim de fevereiro.

A divulgação exclusiva em redes sociais tem permitido interação expressiva e forte engajamento contra abusos e violências. As centenas de comentários mostram que o público que reage ao filme na maioria das vezes é feminino. As reações são as mais diversas e vão desde a empatia com a história apresentada e apoio à campanha até a surpresa por ter vivenciado abuso sem se dar conta.

Para o superintendente de Garantias de Direitos da Secretaria da Família, Leandro Meller, o objetivo é que o maior número possível de garotas assista ao vídeo e passem a estar atentas a possíveis abusos. A produção foi direcionada a meninas e jovens de 14 a 21 anos. “Escolhemos esta faixa etária para esta fase da campanha, por ser a adolescência um período de curiosidade e de certa inocência, que pode levar garotas e mesmo garotos a terem experiências desagradáveis, como a mostrada no vídeo”, comentou Leandro.

CAMPANHA
Esta é a segunda fase da campanha “Você Pode Mais” sobre violência contra a mulher. Na primeira etapa, lançada em novembro do ano passado, o alerta era sobre as violências “invisíveis” contra a mulher que muitas vezes são socialmente aceitas. Foram lançados dois vídeos que esclareciam ser pequenos abusos e invasões de privacidade também atos de violência e sinais de alerta para ações mais prejudiciais.

A atual abordagem é uma ação educativa que mostra, em linguagem direta, o universo e situações comuns do público-alvo da campanha. Para estreitar a ligação com adolescentes e jovens, quatro youtubers foram convidadas a participar de uma experiência angustiante no formato “escape game”.

INTERAÇÃO
Para estimular a sororidade, a solidariedade entre mulheres, cada youtuber preparou para seu canal um depoimento sobre a experiência e como foi vivenciar a consequência das violências. “Não dá para viver coagida com a situação. A gente tem voz”, declarou Priscila Simões, em seu depoimento.

NÚMEROS
As mulheres e meninas representam 65,85% do total de vítimas de violência sexual, física e outros tipos. No Brasil, a cada 100 mulheres de 15 a 19 anos, seis já sofrem violência sexual. No Paraná, a taxa de fecundidade nesta faixa etária é de 52,6 filhos por 1.000 mulheres, menor que o índice brasileiro, mas superior aos 25 registrados na Europa e América do Norte. Menos de 1% dos homens que se casaram em 2016, no Paraná, tinham entre 15 e 19 anos, para as meninas esse percentual superou os 12%.

FOTO – DIVULGAÇÃO/SEDS

error: Content is protected !!